segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

A indiretriz do sexo

Sexo. A única vontade do homem que nunca acaba. Eu preciso, você precisa, seu pai, seu cachorro, seu golfinho, todos precisam (Se você acha que não, procure um médico).
Até ai tudo bem, o dilema está, se todos precisam, e querem, e amam e procuram, por que tanta burocracia até chegar no ato ? Posso descrever o protocolo social do sexo: Conhece o parceiro, conversa sobre coisas da vida da pessoa, fazendo perguntas que já se sabe a resposta e elevando o grau de intimidade até chegar em um pedido para sair. Alcool, voltinha, sexo.
E depois disso é pior, um dos lados se vê desesperado e procura cada vez mais e não acha (talvez pela aparência), e volta a procurar aquela pessoa daquela noite que não tá mais nem ai. Liga, liga, liga. Tu, tu, tu, tu...
Por mim eu acho que a burocracia pré e pós sexo nao devereia existir, devia ser quebrado todos os protocolos e paradigamas sociais. Uma das saídas seria adesivos ou etiquetas de dísponibilidade seguidas de uma pergunta, ou só a pergunta mesmo: "Sexo?" , "Sim obrigado".
Não é vulgarizar o amor. Sexo é uma coisa, amor é outra, estaria apenas "desburocratizando" a coisa toda. 
Mais sexo informal, menos tempo, menos dinheiro, menos conversa, menos estresse, menos assasinos, menos gente procurando drogas, mais alegria na cidade. Ou seja, um país melhor. Adote essa campanha. 

Um comentário:

Sapiensclan disse...

haiuHIAUhuiHAUhIUHAIUhHUAHAUIHAAIHAI
cara boa idéia hem!
pena que ainda existe muitas barreiras sociais na cabeça das pessoas! Mas quem sabe um dia sua idéia não se torne realidade :)